Casas Vazias

Desde sempre me incomodou ver prédios vazios e abandonados, sobretudo no coração dos grandes centros urbanos.

Um dia, enquanto percorria as ruas de Lisboa, fui levado pela curiosidade a entrar num destes prédios.

A porta, mal acorrentada, chamou-me para dentro. Já nas escadas, percebi que havia uma casa que tinha a porta principal aberta. Entrei e dei por mim rodeado por uma série de objectos, alguns nos seus lugares, como se a casa ainda estivesse habitada. Mas, ao mesmo tempo, o profundo silêncio e o ar pesado não escondiam o abandono de anos.

Quem viveria naquela casa?…. Há quanto tempo estaria ela vazia?…

Porque terá sido deixada assim?…

Aquele ambiente enigmático despertou-me o interesse. Saí e voltei noutro dia com a máquina fotográfica e com o propósito de registar em cada imagem, simultaneamente, o lado íntimo e o devassado (pelo abandono) daqueles objectos.